Receba Notícias
+55 (15) 3363.4663 contato@linetec.ind.br
Estrada Alfredo Sebastiani 2400 Boituva/SP - CEP: 18.550-000
 
Topo

Busca por minério de qualidade prejudica produtores menores

"Não há absolutamente mercado algum. A preferência pelo minério de maior qualidade é uma grande preocupação", declarou Kalavampara.



Embora as exportações indianas representem apenas uma pequena fração do mercado marítimo global de cerca de 1,4 bilhão de toneladas dominado por Vale, Rio Tinto e BHP Billiton, a situação difícil dos exportadores de minério de baixa qualidade destaca a nova dinâmica. A iniciativa antipoluição da China sobrecarregou o ágio recebido pelo material de maior qualidade, que é mais eficiente.



Nesta semana, a Rio Tinto observou "evidências claras" de mudança estrutural no mercado, e no início deste ano a BHP ressaltou a "nova realidade" do setor.



"Quase não há exportações", disse R. K. Sharma, secretário-geral da Federação das Indústrias Minerais da Índia. Sharma trabalha no setor há quase cinco décadas e em certo momento viu as exportações indianas chegarem a 100 milhões de toneladas.



"Nem mesmo os goanos, que estão perto dos portos e têm os menores custos do país, conseguem vender", disse ele. A iniciativa da China para limpar o ar fez com que a diferença de preços entre os minérios de alta e de baixa qualidade disparasse. Hoje (12) o preço de referência do minério de ferro com 62% Fe foi de US$ 71,25, segundo a Metal Bulletin.



Goa despachou metade dos cerca de 31 milhões de toneladas em exportações totais em 2016 e 2017 da Índia, país com padrão sazonal de comércio, considerando que o término do período de quatro meses de monções, perto do fim de setembro, normalmente gera uma retomada da atividade. Isso não aconteceu neste ano, e as mineradoras do estado, entre elas a Vedanta, exportaram apenas 680.000 toneladas de minério de baixo teor ferroso no período de dois meses desde a retomada da mineração, uma queda de 76 % em relação ao ano anterior, segundo Kalavampara.



A Índia cobra imposto de exportação de 30% às exportações de minério com mais de 58% de teor ferroso e as mineradoras pedem o cancelamento da cobrança para competirem no mercado intercional. "Você sabe que a Austrália e o Brasil são agressivos", disse Kalavampara. "Pedimos que o governo federal considere o cancelamento do imposto, inicialmente, para minérios com até 60% de teor ferroso", declarou ele. As informações são da Bloomberg.


Fonte: NMB